A licença sabática de Mário Nogueira

Durante vários anos, Mário Nogueira apareceu quase diariamente nos meios de comunicação a desgastar o então Governo do PS.

Numa altura em que tínhamos mais professores, mais bem pagos e com mais horários, Nogueira acusava o PS de desrespeito.

Quando tínhamos investimento nas infra-estruturas, escola a tempo inteiro, inglês para todos e várias medidas que dignificaram a escola pública e a sua qualidade, Nogueira acusa o PS de a destruir.

Em Maio de 2009, após mais uma manifestação e não por acaso já em ano eleitoral, escrevia o Jornal de Notícias: «(...) classificando a manifestação de "extraordinária" e calculando em 80 mil o número de participantes, Mário Nogueira criticou as políticas educativas do Governo, apelidando Maria de Lurdes Rodrigues e José Sócrates de "incompetentes", "prepotentes" "arrogantes"». 

A duplicidade para hoje é chocante. O actual Ministro da Educação, lá saberá porquê, até assevera que não terá contestação de rua. Sabemos que Mário Nogueira contribuiu para a eleição da direita, cumprindo a estratégia sectária do seu partido, mas há limites para o cinismo.


Até quando Mário Nogueira irá manter o período de nojo a que se remeteu?

This entry was posted by Tiago Barbosa Ribeiro. Bookmark the permalink.