Mais tempo, menos dinheiro, mais austeridade

O Governo andou durante meses a evitar reconhecer o inevitável: que teria de prolongar a maturidade dos empréstimos.

O facto de não o ter feito mais cedo faz com que o resultado da estratégia de não ter pedido mais tempo seja efectivamente pedir mais tempo, mas com menos dinheiro e mais austeridade.