O outro lado da história

















Ler a história que podia ter sido: em 1924, o New York Times publica uma breve notícia sobre um homem que é amnistiado um ano após ter liderado uma tentativa de golpe em Munique.

O jornal anuncia que o líder de uma obscura organização radical, o «semi-deus dos reaccionários», ex-combatente na Primeira Guerra, já não representa qualquer perigo para o Estado alemão. Iria deixar a «vida pública», como hoje dizemos, retirando-se para a Áustria natal.

Uma década depois, Adolf Hitler ascende a Führer da Alemanha nazi. Em 1939 lança o mundo na guerra mais devastadora da história da Humanidade, mudando duradouramente o seu sistema de relações políticas, económicas e sociais.

Suicidou-se no seu bunker a 30 de Abril de 1945, aparecendo nas capas dos jornais de todo o mundo.