Emprego, desemprego, desespero

Mais do que as habituais disputas sobre décimas infinitesimais nos dados do desemprego, vale a pena atentar noutros dados do INE referentes a 2013 sobre o Vietname Portugal:

  • Há pelo menos 120.600 portugueses que trabalham e ganham menos de 310 euros por mês. 
  • Quase 600 mil trabalham e recebem o indecoroso salário mínimo. 
A estes mais de 720 mil que aceitam vender a sua força de trabalho por valores humilhantes (um dos objectivos do choque liberal), acrescem os muitos que estão no subemprego e em situações de semi-escravatura sem papéis.

Depois temos milhares e milhares de emigrantes.
E 824 mil desempregados estatísticos.
E reformados compulsivos que aceitam perder uma fatia considerável do que descontaram ao longo da sua vida de trabalho para acederem a uma reforma em condições desvantajosas, mas muitas vezes a única saída para obtenção de um rendimento mínimo.

No total, já para além do emprego e do desemprego, são milhões que estão sobretudo em desespero.