A vitória dos fundamentalistas













O relatório sobre as práticas de tortura na CIA é uma faca no coração da liberdade. Isto aconteceu à frente dos nossos olhos, nós é que preferimos fechá-los. À margem de qualquer tutela democrática ou constitucional, a CIA montou um meticuloso programa de raptos e de tortura. Raptos. E tortura. Não foram crimes de guerra: foram crimes hediondos.

Depois do abismo iraquiano, a paranóia pós-11 de Setembro esfarelou os valores das democracias ocidentais, demonstrando o que acontece quando pigmeus políticos lidam com factos de dimensão histórica (do terrorismo à crise das dívidas soberanas). Neste caso, ao violarem os valores democráticos nas nossas costas, eles deram a vitória aos fundamentalistas. Sinto-me envergonhado por tudo isto e por saber que Portugal serviu de entreposto à barbárie.

Espero que todos os responsáveis políticos, com George W. Bush à cabeça, sejam um dia julgados e condenados no Tribunal Penal Internacional.